2 de julho de 2017

QUEM TEM O DIREITO...


Disseram-me: Não te faças tantas perguntas.
Tu pouco sabes, a vida é que virá te responder.

Para quê desejas saber tudo, tudo agora?
Atentes para o céu e vejas o que tu podes ver.

Disseram-me também: Deves ouvir a teu pai.
O meu nada disse, porém, quando partiu...

Mamãe disse: És pequeno ainda para entender.
E cresci com um lugar ausente em meu peito.

Quem tem o direito, quem tem
Quem tem o direito de fazer isto
A um menino que realmente acredita
Nas coisas que ditam os mais velhos?
Passamos a vida a repetir – Obrigado,
Obrigado por isso, por aquilo!
Pelo tempo bom, pela chuva que cai...
Pelas crianças a quem já mentimos.

Disseram-me: Todos os homens são iguais,
Os deuses inúmeros, porém só existe um sol.

Sim, eu sei, aqui o sol brilha, além ele abrasa,
Ou morres de sede ou bebes da ilusão.

Disseram tão prontamente também a ti
Bonitas histórias, tu então as relatas de cor!

Agora nos encontramos outra vez na estrada
Com nossos medos, nossas angústias e dúvidas.


* Canção escrita por Gérard Presgurvic, composta e interpretada por Patrick Bruel (1991). Caderno de traduções de Peter O Sagae, julho de 2017.



*